Organização comunitária e os avanços culturais para a comunidade

post-pantanal-1

O Projeto Pantanal assim chamado, foi o Projeto de Urbanização do bairro União de Vila Nova que era conhecido como Jardim Pantanal. A CDHU é a grande mentora e executora deste trabalho, que no início enfrentou muita resistência por parte dos moradores que não queriam a urbanização, até entenderem que não se tratava apenas de um projeto desenvolvimento. O objetivo do projeto vai além, a preocupação com a comunidade enquanto indivíduos sociais, foi um cuidado que a CDHU manteve. Empoderar as lideranças da comunidade através de criação de projetos sociais e incorporação de vários outros que já existiam foi um dos primeiros passos para que a população não só aceitasse mas também desse seu apoio e participação no processo de urbanização. A organização comunitária trouxe o avanço cultural que a comunidade precisava e que hoje é reconhecida por todas as “Células do Pantanal”, assim chamados todos os projetos sociais dentro do macro Projeto Pantanal que são: Mulheres do GAU (Grupo de Agricultoras Urbana), Viveiro Escola, NUA (Instituto Nova União da Arte), Cooperativa de Reciclagem, Fórum, Atelier de Costura, Quebrada Sustentável e Varre Vila. A liderança da comunidade é fortalecida, organizada e muito participativa. Hoje quem fala pela comunidade é a própria comunidade.

O Viveiro Escola é o principal ponto de encontro para as atividades do Projeto Pantanal, é um ambiente que reúne além dos projetos diversas de suas atividades. As Mulheres do GAU cuidam da horta e da produção de mudas e plantas medicinais. O ambiente também comporta uma academia sustentável a Agro-Gym onde os exercícios praticados ajudam a produzir alimentos saudáveis para a cozinha do Viveiro.

O Projeto ComCom Pimentas (projeto social de comunicação comunitária) atuante no bairro dos Pimentas, comunidade que está passando pelo processo de urbanização pela CDHU, hoje faz uma contribuição colaborativa com o Projeto Pantanal, que apesar de ter seu processo já encerrado é constantemente visitado por representantes da CDHU, pois se tornou um referencial de comunidade organizada em vários âmbitos e hoje serve de modelo não só para a liderança do Projeto Pimentas, mas para várias comunidades do estado de São Paulo. Esses eventos são postados nas redes sociais (página de Facebook, perfil no Instagram e canal no Youtube) administrada e alimentas pelo ComCom, com a produção de vídeos, fotos e conteúdo que contam a história dessa comunidade. Além de constantes matérias para a Rádio ComCom. Há um projeto muito legal sendo desenhado de que essas matérias passem a ser um programa fixo na grade de programação da rádio.

Texto: Camila Cunha
Fotos: Wesley Cassey, Alice Carolina e Giovanna Carvalho

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s